Caso Chile: A experiência de introduzir tecnologia para a seleção e gestão de programas sociais.

Um dos grandes desafios da gestão de um programa social é como compilar e atualizar dados específicos da população. Isso se deve ao fato de haver uma disparidade entre a realidade e o que consta nos registros. Muitos desses dados ainda são registrados de forma analógica e não de forma digital.

Infelizmente, outros pontos preocupantes são questões como fraude, seleção tendenciosa e corrupção, que são desafios comuns na gestão de programas sociais governamentais. Porém, um país da América Latina acaba de mostrar que existem caminhos para solucionar esses problemas por meio da tecnologia.

Com o objetivo de elevar a performance e a igualdade do sistema, O Chile recentemente implementou um sistema integrado de dados sociais. Foram reunidos diferentes bancos de dados e organizados para que, a partir de critérios igualitários, a tecnologia pudesse identificar quem mais precisa de auxílio. O sistema que chama RSH – Registro Social de Hogares (Registro Social de Domicílios, em espanhol) permitiu um nível elevado de conhecimento, agilidade e transparência na gestão de beneficiários.

O RSH unifica dados administrativos de diversos órgãos, inclusive das antigas fichas, compilando informações sobre saúde, moradia, educação e o perfil de cada domicílio. Anteriormente, os registros eram feitos em fichas que reuniam as informações das famílias inscritas nos programas sociais do governo. Consequentemente, o processo era lento, e com estágios para seleção de beneficiários que davam margem a críticas sobre igualdade de direitos e mérito dos escolhidos.

O sistema também tem o foco na identificação das demandas individuais, para que o estado possa ajustar as políticas públicas da melhor forma, para melhoria nas ações de transformação social e qualidade de vida dos cidadãos.

A operação do sistema fica sob a tutela exclusiva do Ministério do Desenvolvimento Social Chileno. Mas, são os municípios chilenos que executam as políticas sociais federais. São disponibilizados quiosques em mais de 200 cidades, e é no contato com os municípios que os cidadãos são informados sobre a elegibilidade a outros benefícios. Com esse trabalho em conjunto, foi possível conhecer a real situação de mais de 70% da população chilena, permitindo identificar que famílias necessitam de apoio e que programas de assistência se encaixam em cada caso.

Fonte: Brazil Lab

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *